RANKING
MA fica entre estados com piores Índices de Inclusão Escolar
Por FOLHA DE S. PAULO • 29/05/2024
Compartilhe
Educação Maranhão
Só 19% se formam na educação básica na idade certa e com a aprendizagem suficiente, diz Índice desenvolvido pelo Instituto Natura.

MARANHÃO, 29 de maio de 2024 – Um novo índice joga luz no drama educacional brasileiro: apenas 2 de cada 10 (ou 19%) dos jovens do país se formam no ensino médio na idade certa e com o aprendizado considerado suficiente.

Os dados evidenciam também a enorme desigualdade do país, com os piores desempenhos educacionais concentrados nas regiões Norte e Nordeste.

A taxa dos que se formam com a aprendizagem suficiente varia de 6,5%, no Amapá, estado com o pior desempenho, a 27%, em São Paulo, que tem a melhor performance. Ou seja, mesmo a educação paulista, líder no ranking, não forma nem um terço dos jovens na idade correta e com a aprendizagem minimamente satisfatória.

O Índice de Inclusão Educacional (IIE) foi desenvolvido pelo Instituto Natura, que atua em projetos de melhoria da educação pública, em colaboração com a Metas Sociais, organização liderada por Reynaldo Fernandes, professor de economia da USP e ex-presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais).

A novidade desse índice é considerar o desempenho de toda uma geração, e não apenas o de alunos de determinadas séries escolares, isoladamente, como a maior parte dos indicadores da educação existentes.

O índice também utiliza o Censo Escolar, que traz dados sobre as matrículas em cada série escolar, e da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, que levanta informações sobre os jovens que estão atrasados ou fora da escola.

Veja o Ranking do IEE (Índice de Inclusão Escolar) de 2019, por estado.

● São Paulo: 27%

● Distrito Federal: 26%

● Goiás: 25,8%

● Paraná: 24,7%

● Espírito Santo: 24,6%

● Minas Gerais: 22%

● Ceará: 21,2%

● Pernambuco: 19,3%

● Rio de Janeiro: 18,1%

● Rio Grande do Sul: 17,6%

● Santa Catarina: 17,4%

● Mato Grosso do Sul: 16,8%

● Paraíba: 15,9%

● Rio Grande do Norte: 15,5%

● Piauí: 15,2%

● Mato Grosso: 13,4%

● Sergipe: 13,1%

● Rondônia: 12,1%

● Alagoas: 11,9%

● Tocantins: 11,8%

● Acre: 9,2%

● Maranhão: 8,9%

● Pará: 8,4%

● Roraima: 8,3 %

● Bahia: 7,9%

● Amazonas: 7,7%

● Amapá: 6,5%

Compartilhe
02/07/2024
FIM DA GREVE
Técnicos da UFMA retomam atividades nesta terça (2)
25/06/2024
FRACASSO
Plano Nacional de Educação completa 10 anos sem atingir metas
12/06/2024
EDUCAÇÃO
Greve chega a dois meses e trava cursos e bolsas de pesquisa

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda