NEPOTISMO?
Após demissão em massa, Paula da Pindoba emprega familiares na Prefeitura de Paço
Por Jeisael Marx • 11/01/2023
Compartilhe
Gestão da prefeita de Paço do Lumiar passa por turbulência

O presente de ano novo para os servidores comissionados do município de Paço do Lumiar, na Grande Ilha de São Luís, foi a demissão em massa de servidores comissionados pela prefeita Paula da Pindoba, em uma única canetada, conforme consta no Diário Oficial do Município publicado em 2 de janeiro.

Em vez de prestar esclarecimentos, a prefeita utilizou sua assessoria paga para tentar descredibilizar a informação. Ao mesmo tempo em que emitiu Nota admitindo a exoneração em massa publicada no Diário Oficial, tratou de chamar de “fake news” as publicações da imprensa.

Porém, o mais interessante é o que vem a seguir nas publicações dos Diários Oficiais dos dias seguintes: a nomeação de dezenas de pessoas com sobrenomes da prefeita.

Conhecida como Paula da Pindoba, o nome completo da prefeita é Maria Paula Azevedo Desterro. Guarde bem os sobrenomes “Azevedo” e “Desterro”, pois a administração municipal de Paço do Lumiar está cheia de gente com esses sobrenomes em diversos cargos, inclusive de chefia, com bons salários, após a demissão em massa promovida pela prefeita.

Apenas na secretaria de Saúde foram nomeados Diego Rai de Azevedo Costa e Valdinar de Castro Desterro, ambos no cargo de Assessor Técnico; e Noeme da Cruz Guimarães de Azevedo como chefe de Divisão.

Na Secretaria de Desenvolvimento Social foi nomeada Daniela Tais Desterro Corvelo no cargo de Assessor Técnico; na Secretaria de Direitos Humanos consta Any Raphaely Garcez Azevedo no cargo de Assessor II, enquanto Lyslena Karine Desterro Sousa ganhou a nomeação de Gerente de Acompanhamento na Secretaria de Educação, assim como José de Ribamar Asevedo foi nomeado diretor de Escola.

Também ganharam cargo como Chefe de Departamento Ariadson João Nina Azevedo, na Secretaria de Planejamento, e Geilson Azevedo Rabelo na importante Secretaria de Administração e Finanças.

Vale ainda ressaltar que para ser considerado nepotismo, a Lei leva em conta até o parentesco por afinidade e não apenas por consanguinidade.

Desse modo, pode ser que também haja parentes da prefeita sem esses sobrenomes empregados na prefeitura, o que não é possível precisar em face de nossa pesquisa no Diário ter se dado com base nos sobrenomes de Maria Paula Azevedo Desterro.

Como agente público, se Paula da Pindoba usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes, até o terceiro grau, estará cometendo nepotismo.

Entramos em contato com a prefeita Paula da Pindoba para os devidos esclarecimentos sobre tais nomeações de pessoas, que, coincidentemente ou não, tem os seus sobrenomes. De modo que é preciso esclarecer quais graus de parentesco com prefeita e quais critérios utilizados para nomeá-los nesses cargos, além disso, que outros parentes sem esse sobrenomes estão empregados na prefeitura.

Até o fechamento da reportagem a prefeita não respondeu aos questionamentos.

Compartilhe
17/04/2024
DÉBITOS
Governo do Maranhão renegocia dívida com a União
17/04/2024
INVESTIGAÇÃO
Caso Odylo: Membros da Seduc faltam a reunião com delegado
17/04/2024
SENADO
Senadores maranhenses se dividem sobre PEC das Drogas

1 Comentário

  1. Alves

    Não se pode esperar menos do que isso de quem adora a foice e martelo. É a mais pura hipocrisia e demagogia. Aprendeu com o mestre dela, dinóquio.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda