LEVANTAMENTO
Supersalários de 25 mil servidores custam R$ 3,9 bi anuais ao país
Por O GLOBO • 20/01/2024
Compartilhe
Supersalários Brasil
Estudo do Centro de Liderança Pública (CLP) defende a aprovação de projeto de lei que combate os salários acima do teto.

BRASIL, 20 de janeiro de 2024 – A aprovação do projeto que ataca os supersalários pelo Congresso poderia gerar uma economia anual de R$ 3,9 bilhões – recursos que poderiam ser destinados para reforçar áreas prioritárias, como saúde, educação e segurança.

A conclusão é de um estudo do Centro de Liderança Pública (CLP).

Segundo o levantamento, 25,5 mil trabalhadores da elite do funcionalismo nos três níveis, União, estados e municípios, recebem em média por mês R$ 12,68 mil acima do teto.

O teto é definido pelo salário pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), hoje em R$ 41,6 mil. O projeto que regulamenta o teto do funcionalismo avançou na Câmara em 2021 e está parado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Da economia estimada pelo CLP, R$ 900 milhões ficariam com a União; R$ 2,5 bilhões com os estados e R$ 400 milhões com os municípios. O estudo aponta que existem 7,7 mil servidores federais com remuneração acima do teto; 15,3 mil servidores estaduais e 2,275 mil servidores municipais.

O levantamento foi feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) do IBGE de 2022. O universo de servidores com super salários corresponde a 0,23% do total de 11 milhões de estatutários, aprovados em concurso público e empossados.

A pesquisa foi publicada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e confirmada pelo GLOBO.

A maior parte do gasto está concentrada nos estados, o equivalente a 60% do total, R$ 2,54 bilhões. No caso da União, as despesas somam R$ 900 milhões, o que representa 29,8% e dos municípios, R$ 440 milhões (10,2%).

De acordo como estudo, a remuneração média acima do teto nos estados é de R$ 13.838; nos municípios sobe para R$ 14.041 e na União, de R$ 9.902.

No documento, o CLP ressalva que como parte dos ganhos extra-teto são referentes a indenizações legítimas. Mas, mesmo assim, o rendimento acima do teto teria impacto anual de R$ 3,1 bilhões.

O Ministério da Gestão, comandado pelo ministra Esther Dweck, defende a regulamentação do teto do funcionalismo, mas o projeto enfrenta obstáculos. Na avaliação de técnicos da pasta, a proposta avançou na Câmara como uma resposta da Casa às ações do Judiciário.

A situação, contudo, teria sido amenizada no atual cenário, tanto no governo, quanto no Congresso.

Compartilhe
20/04/2024
PL MULHER
Ex-primeira-dama já está em SLZ para agenda neste sábado
20/04/2024
PARTIDO
Ação de impugnação contra Podemos segue se arrastando no TRE
20/04/2024
DESEMBARGADOR
Velten critica Musk e diz que TRE está pronto para deepfakes e IA

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda