DENÚNCIA
Professor é desligado por acusações de assédio sexual na UFMA
Por IMIRANTE.COM • 22/01/2024
Compartilhe
UFMA Assédio
Um dos alunos relatou como aconteciam os assédios por parte de José Humberto, que foi chefe do Departamento de Direito.

SÃO LUÍS, 22 de janeiro de 2024 – Uma denúncia levada ao Ministério Público Federal (MPF), por parte de um ex-aluno, levou à expulsão do professor José Humberto Gomes de Oliveira. Ele era chefe do departamento do curso de Direito, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

José Humberto Gomes de Oliveira é apontado como uma pessoa que cometia uma série de abusos contra os alunos, inclusive assédio sexual.

Segundo o estudante, que não será identificado, informou como foi assediado por Humberto, no dia 17 de maio de 2019. No depoimento à Procuradoria da Polícia Federal na UFMA, ele conta que tudo aconteceu um dia em que recebeu carona, após a aula que acontecia aos sábados, o que dificultava a volta pra casa pela baixa oferta de ônibus.

“A aula era de Contratos. Ainda dentro da Cidade Universitária, José perguntou se eu depilava as partes íntimas. Me senti desconfortável e tentei desconversar, mas, quando saímos da UFMA e passávamos pela Capela de São Pedro, José disse que ‘tinha vontade de me sequestrar’ e queria ‘me dar banho'”, relatou o estudante.

Ainda durante o depoimento, o estudante conta que José Humberto o questionou se ele já ‘tinha dado’. Mesmo respondendo que era hétero, o aluno diz que José Humberto passou a falar que era ‘ativo’ e percebeu que queria transar com ele.

“No trajeto, a mulher dele [José] ligou convidando para eles almoçarem no Centro. Quando eu ia descer, em frente ao Socorrão I, José pegou na minha perna e disse que, para descer, eu teria que dar um beijo na bochecha dele. (…) Eu não entendi o que estava acontecendo, passei a questionar de tinha feito alguma coisa e só fui entender que havia sofrido um assédio quando fui a um psicólogo”, contou.

Após o caso, o estudante disse que esperou um tempo após realizar a denúncia porque Humberto era chefe do Departamento de Direito e poderia prejudicá-lo durante a graduação. A denúncia só foi realizada em maio de 2022, após a colação de grau, e teve o relato de outros estudantes.

Um outro aluno afirmou em depoimento à PF que sempre ouviu histórias e rumores sobre assédio praticado pelo ‘professor Humberto’.

Em um certo dia, ele disse que presenciou Humberto apertando um estudante porque ele estava com uma roupa justa. Nessa ocasião, Humberto perguntou ainda se ‘lá em baixo ele era apertadinho também’, deixando o estudante desconfortável.

Por fim, esse último estudante também prestou depoimento, confirmando que ele foi abordado por Humberto e perguntado se “você é apertadinho assim mesmo” (…) e “como agente pode resolver isso?”. O ex-aluno acrescentou ainda que o professor sempre pegava no braço dos meninos e os obrigava dançar em sala quando chegavam atrasados.

Mais informações em Imirante.com.

Compartilhe
17/04/2024
EXTORSÃO
Processo contra promotor do MPMA sugere perda do cargo
17/04/2024
CONCORRÊNCIA
Disputa no STJ gera racha no Supremo Tribunal Federal
17/04/2024
OBSTÁCULOS
Ministro da Educação culpa burocracia por obras paradas no MA

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda