QUEIMADAS
Lula posta fake news contra Bolsonaro e apaga após ser desmentido
Por José Linhares Jr • 16/08/2022
Compartilhe
Ex-presidente alardeou queimada de 5.474 km² na Amazônia em 2022. Após internautas mostrarem que em 2004, durante o mandato dele, foram queimados 27.772 km², petista apagou a publicação.

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) publicou notícia falsa em suas redes sociais contra Jair Bolsonaro (PL). Segundo ex-presidiário, o Brasil bateu o recorde de desmatamento em 2022, durante o mandato do atual presidente. Imediatamente internautas divulgaram gráficos que mostram que o índice divulgado por Lula é cinco vezes menor que o mesmo indicador de desmatamento em 2004, quando o petista governava o país. Após a verdade ser exposta, Lula apagou a publicação.

Os dados apresentados pela conta de Lula no Twitter mostram que, em 2022, teria sido desmatada uma área de 5.474 km². A projeção mostrada por Lula vai de 2017 a 2022. Na publicação, Lula prometeu “um futuro de proteção, desenvolvimento e autonomia da Amazônia” contra a “política de destruição” atual.

Internautas revelaram um gráfico que, só em 2004, durante o mandato do petista, quase 28 mil km² foram devastados. “Por que escondeu o período em que você estava no poder, quando os números do desmatamento chegaram a ser mais do que cinco vezes piores do que os atuais? Como 5.474 KM² pode ser o recorde, se você chegou em 27.772 KM² de florestas devastadas só em 2004, segundo o PRODES?”, escreveu um internauta.

Os números apresentados são do Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia (PRODES)

Acuado pela mentira, o petista apagou a publicação.

Compartilhe
11/03/2024
AMAZÔNIA
Governo fecha contrato com empresa envolvida em garimpo ilegal
27/02/2024
INCÊNDIO
Queimadas na Amazônia disparam 286% em fevereiro
04/01/2024
GENOCÍDIO DO BEM
Mortes ianomâmis aumentaram com Lula

3 Comentários

  1. Anônimo

    Comunista Imundo ☝️

    Responder
  2. Marcel

    A reportagem não mostra o ano de 2004, pq será? Kkkkkk

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda