ASSASSINARAM A CRIANÇA
Lésbicas esfaqueiam recém-nascido e jogam bebê em fossa no MA
Por José Linhares Jr • 01/07/2022
Compartilhe
Mãe do bebê e amante são acusadas de esfaquear vítima após o parto de de atirá-lo em uma fossa. Criança não resistiu e morreu.

Um casal de adolescentes lésbicas é acusado de esfaquear um recém-nascido e depois atirar a criança dentro de uma fossa. O crime aconteceu na cidade de Timbiras, a 290 Km de São Luís. O neném ainda foi resgatado com vida, mas morreu no hospital.

O crime aconteceu no fim de semana logo após o parto. Segundo familiares, a mãe da criança, uma menor de 17 anos, e sua amante decidiram assassinar o bebê logo após o parto. O crime aconteceu no último fim de semana, no quintal de uma residência na Rua do Rodrigo, no bairro Anjo da Guarda.

Vizinhos ouviram o bebê chorando dentro da fossa após o ataque e o retiraram da fossa. Eram visíveis perfurações por armas brancas no pescoço e costas.

Após o resgate, a vítima ainda foi levada para um hospital em Timbiras. Lá foi confirmado por médicos que o bebê apresentava marcas de violência, inclusive ferimentos no pescoço, braços e nas costas, possivelmente provocados por arma branca.

O recém-nascido foi transferido para um hospital na cidade de Colinas, onde não resistiu aos ferimentos e morreu na segunda-feira (28).

As duas estão em liberdade.

O fato da mãe ter gerado uma criança fruto de um relacionamento heterossexual e logo em seguida tê-lo matado em companhia de uma parceira revela muito bem doenças que afetam um número razoável dos jovens atualmente: irresponsabilidade, promiscuidade e desprezo pela vida.

Compartilhe
06/12/2023
PUNIÇÃO
PL sobre venda de remédios abortivos avança na Câmara
27/09/2023
PRÓ-VIDA
Dez maranhenses já assinaram requerimento contra o aborto
22/09/2023
SUPREMO
Julgamento sobre descriminalização do aborto é suspenso no STF

2 Comentários

  1. Jr

    Lésbica e quis engravidar. Só no c do cão mesmo

    Responder
  2. Anônimo

    No cu da tua mãe então!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda