SILÊNCIO
Imprensa esconde prisão de vereador que mandou matar bolsonarista
Por José Linhares Jr • 10/09/2022
Compartilhe
Vereador lulista Jean Charles Alexandre foi preso acusado de ser o mandante da morte do bolsonarista Marcello Leite Fernandes. Polícia trabalha com tese de execução por razões políticas

A imprensa nacional evita noticiar a prisão do vereador lulista Jean Charles Alexandre nesta semana. Investigações da polícia confirmam que ele ordenou a morte de Marcello Leite Fernandes, em Ibotirama, na Bahia. O crime aconteceu em julho. Marcello usava uma camisa de Bolsonaro e estava em seu carro quando foi abordado por dois motociclistas que o executaram. Além da prisão do vereador, foram cumpridos ainda seis mandados de busca e apreensão.

Segundo a Polícia Civil, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) trabalha com diversas linhas de investigação, a principal delas, é a de que o crime foi motivado por política.

Foram apreendidos documentos que devem auxiliar a apuração sobre as circunstâncias do crime. “Gostaríamos de destacar a participação popular. Durante a apuração, pessoas noticiaram, de maneira informal, fatos que nos ajudaram”, destacou o delegado responsável pela ação.

O crime ocorreu no dia 21 de julho na rodovia BA-160, na cidade de Ibotirama. Dois homens em uma moto pararam ao lado do automóvel da vítima e um deles atirou contra Marcello. Imagens de câmeras de segurança registraram a execução.

Compartilhe
19/10/2023
HOMICÍDIO
Vereador é assassinado a tiros no Maranhão
20/09/2023
INSEGURANÇA
Homem é assassinado ao buscar emprego em São Luís
15/08/2023
VIOLÊNCIA NAS ELEIÇÕES
Líder político Pedro Briones é assassinado no Equador

2 Comentários

  1. José Hadson Sousa Ramada

    A esquerda está desesperada, mais perdida que cego em tiroteio

    Responder
  2. Alex

    Quero ver eles esconderem o resultado da eleição do próximo dia 2 de outubro com a vitória esmagadora de Bolsonaro.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda