DESISTÊNCIA
Governo Lula recua e Lençóis Maranhenses não será privatizado
Por linharesjr.com.br • 05/12/2023
Compartilhe
Lençóis Maranhenses
O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos recomendou retirar o Parque dos Lençóis Maranhenses da lista de privatizações.

MARANHÃO, 05 de dezembro de 2023 – O Governo Federal, por meio do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), vinculado ao Palácio do Planalto, decidiu nesta terça (5) retirar oito parques nacionais da lista de privatizações.

Entre eles, está o icônico Parque dos Lençóis Maranhenses, localizado próximo à divisa com o Piauí, conhecido como um dos principais cartões postais do Brasil.

A decisão, publicada no Diário Oficial da União, também inclui a retirada do PPI do Parque da Serra da Bocaina (entre SP e RJ), o quarto parque nacional mais visitado do país, assim como as administrações da Serra da Capivara (PI) e da Serra da Canastra (MG).

Por outro lado, outros 11 parques terão seu modelo de concessão mantido.

Entre eles, destacam-se o Parque de Jericoacoara, no Ceará (o segundo mais visitado do país), as Cataratas do Iguaçu, no Paraná (o terceiro mais visitado), e o Parque Nacional das Anavilhanas, uma porta de entrada significativa para estrangeiros que desejam explorar a floresta amazônica através de Manaus.

Inclusive, alguns parques já tiveram a gestão e atendimento ao público concedidos à iniciativa privada durante a gestão de Jair Bolsonaro, sendo a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, um dos casos mais notórios.

Compartilhe
20/02/2024
DECISÃO
Desembargadora maranhense é afastada pelo CNJ por dois anos
20/02/2024
FORO PRIVILEGIADO
Oposição aposta no fim do foro contra excessos do Judiciário
20/02/2024
PANDEMIA DE CORRUPÇÃO
Mais um membro do Ministério Público maranhense acusado de corrupção

1 Comentário

  1. DENNIS

    Explica de onde veio a informação de que parques estavam sendo privatizados. Algum parque já foi privatizado? Mídia, tenha ciência de sua responsabilidade.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda