DÉFICIT
Estatais brasileiras enfrentam maior rombo em oito anos, diz BC
Por linharesjr.com.br • 08/02/2024
Compartilhe
Estatais rombo
Estatais do Brasil enfrentaram um déficit recorde de R$ 2,3 bilhões em 2023, o pior desempenho em oito anos, segundo dados do Banco Central.

BRASÍLIA, 08 de fevereiro de 2024 – O setor de estatais brasileiras registrou um déficit de R$ 2,3 bilhões no ano de 2023, marcando o desempenho mais negativo em oito anos, de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central nesta quarta (7).

Este resultado representa não apenas uma significativa reversão em relação ao superávit observado em 2022, mas também marca a primeira vez desde 2016 que as contas dessas empresas ficaram no vermelho.

A análise mais detalhada dos números revela que mais da metade desse déficit, aproximadamente R$ 1,3 bilhão, é atribuída às estatais federais. O contraste com o ano anterior é marcante, pois essas mesmas empresas apresentaram um superávit de R$ 656 milhões em 2022.

A reviravolta nas contas das estatais federais é particularmente notável, contribuindo significativamente para a maior diferença em valor em relação ao ano anterior.

Em 2022, as estatais federais da União conseguiram um superávit de R$ 4,8 bilhões. No entanto, a realidade em 2023 apresentou uma diferença impressionante, com um déficit de R$ 5,4 bilhões.

Isso não apenas contrasta com o desempenho anterior, mas também supera a diferença observada nas empresas estaduais, que experimentaram uma variação de R$ 2,7 bilhões no mesmo período. A análise mais ampla, que inclui todas as estatais, revela uma mudança no resultado primário.

O superávit de R$ 6,1 bilhões em 2022 se transformou em um déficit de R$ 2,3 bilhões em 2023, representando uma diferença de R$ 8,4 bilhões.

Compartilhe
08/02/2024
DÉFICIT
Estatais brasileiras enfrentam maior rombo em oito anos, diz BC
26/12/2023
ROMBO
Estatais geram prejuízo acima de R$ 500 milhões ao Maranhão
24/11/2023
DÉFICIT
Empresas estatais projetam rombo recorde com governo Lula

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda