ESQUEMA
Empresário preso assinou contratos miliónarios nos governos Flávio Dino e Brandão
Por José Linhares Jr • 21/07/2022
Compartilhe
Eduardo DP é acusado de liderar um grupo criminoso responsável por promover fraudes licitatória, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro.

Após a Polícia Federal deflagrar, nesta quarta (21/07), a Operação Odoacro no Maranhão, que busca desarticular associação criminosa estruturada para promover fraudes licitatória, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, o empresário Eduardo José Barros Costa, conhecido como Eduardo DP, princial alvo da ação policial, foi apontado como o líder de um grupo criminoso.

A Polícia Federal descobriu que empresas e bens de Eduardo DP constavam em nome de terceiros, com contas bancárias vinculadas a CPFs falsos, com objetivo de praticar fraudes e dificultar a atuação dos órgãos de controle.

O portal G7 relevou a ligação do empresário com o governo do Maranhão. Eduardo DP é sócio oculto e dono da empresa Construservice – Empreendimentos e Construções Ltda, empreendimento que possui contratos milionários nas gestões do ex-governador Flávio Dino e de Carlos Brandão. Levatamento aponta que em torno de R$ 568 milhões foi empenhado pela empresa, sendo que 545 milhões foram liquidados e R$ 427.803.972,29 já foram pagos pelo governo Maranhense.

Em suas redes sociais, Eduardo DP mostra o vínculo de amizade com Flávio Dino, o empresário fez ampla campanha política para o ex-governador, além de possuir também relacionamentos com o ex-secretário de infraestrutura do Maranhão, Clayton Noleto, e o deputado federal Márcio Jerry, ambos do PCdoB, ex-partido de Dino.

O esquema miliónario descoberto pela Polícia Federal nesta semana é o mesmo investigado pela Polícia Civil em 2015, quando a Operação Imperador foi realizada no Maranhão.

Compartilhe
06/08/2022
ELEIÇÕES 2022
Grupo Mirante define programação para as eleições de 2022
06/08/2022
CRISE
Ferry José Humberto encalha na Baía de São Marcos
22/07/2022
DECISÃO
Partido de Brandão consegue suspenção da pesquisa Exata

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda