AMIZADE ACIMA DE TUDO
Documentos mostram que Lula espalha fake news sobre dívidas de ditaduras com o BNDES
Por José Linhares Jr • 07/02/2023
Compartilhe
Discurso do presidente na posse do novo presidente do BNDES foi permeado por mentiras sobre dívidas bilionárias de ditaduras governadas por aliados políticos do petista.

Documentos provam que a justificativa do presidente Lula (PT) para garantir a volta dos empréstimos do BNDES a ditaduras da América Latina é mentirosa. Segundo o presidente, Venezuela e Cuba não pagaram suas dívidas porque Bolsonaro “deixou de cobrar para ficar nos acusando”. As mentiras do presidente foram expostas pela jornalista Malu Gaspar, de O Globo.

Assim que assumiu o governo, Bolsonaro manteve as cobranças. A informação é comprovada por documentos dos quais a jornalista teve acesso. As cobranças foram enviadas à representação da Venezuela no Brasil pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia.

Em novembro de 2022, mesmo após ter perdido a eleição, Bolsonaro seguiu com as cobranças. Carta datada do dia 21 de novembro mostra que a Venezuela já tinha um débito acumulado de mais de R$ 6 bilhões em valores atualizados.

Lula também mentiu sobre Cuba durante discurso no BNDES. O governo Bolsonaro não rompeu laços diplomáticos com a ditadura dos Castro.

Cuba e Venezuela possuem, juntos, possuem uma dívida de 2,1 bilhões de dólares (valor que supera R$ 11 bilhões) com o BNDES. O valor corresponde a 20% dos 10,5 bilhões de dólares distribuídos por governos brasileiros de orientação esquerdista. Atrás dos dois países em montantes da dívida com o BNDES estão a República Dominicana (154 milhões de dólares), Gana (104 milhões de dólares), Guatemala (98 milhões de dólares), Moçambique (53 milhões de dólares), Equador (49 milhões de dólares), Argentina (47 milhões de dólares), Honduras (37 milhões de dólares) e Costa Rica (15 milhões de dólares).

O BNDES não fica sem receber os recursos do calote. Quando firmados os contratos, há a garantia por parte do Governo Federal de pagamento em caso de atraso. O povo brasileiro figura como uma espécie de fiador dos contratos por meio do Fundo Garantia à Exportação (FGE), do tesouro nacional.

Até o ano passado, o pagador de impostos nacional já havia arcado com 750 parcelas em atraso dos empréstimos contraídos por Cuba e Venezuela que Lula quer reativar.

Compartilhe
08/07/2024
INVESTIGAÇÕES
Arquivado inquérito dos repasses do BNDES a Cuba e Venezuela
10/06/2024
MOBILIDADE
BNDES estuda desenvolvimento de metrôs, BRTs e VLTs para SLZ
29/12/2023
J&F
Decisão de Toffoli gera prejuízo bilionário a BNDES, Caixa e etc

2 Comentários

  1. Adilson

    Especialidade dele é mentir meu Nobre Linhares.

    Responder
  2. Toninho Tijolada

    Aqui me calo pois foi dito tudo. Mas vou ri um pouco kķkkkkk

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda