ACERTO
Destreza política de Aluísio Mendes livra deputado de arapuca no PSD
Por José Linhares Jr • 03/02/2023
Compartilhe
Ao recusar comando do PSD no Maranhão, Aluísio Mendes livrou-se de uma fria e demonstrou tato político diferenciado.

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, transformou a legenda no Maranhão em uma verdadeira arapuca. Comandado de forma harmônica pelo ex-deputado federal Edilázio Jr nos últimos anos, o partido virou uma bagunça graças à atuação de Kassab. E o único que percebeu os riscos da atuação do ex-prefeito de São Paulo, e conseguiu evitá-los, foi o deputado federal Aluísio Mendes, que recusou uma proposta de comandar a legenda no estado e preferiu filiar-se ao Republicanos.

Filiaram-se ao PSD nos últimos meses com as bênçãos de Kassab: Edivaldo Holanda Jr, Eduardo Braide, Mical Damasceno, César Pires, Fernando Braide, Josivaldo JP e a senadora Eliziane Gama. Aluísio chegou a ser convidado por Kassab para assumir a presidência do partido no fim de 2022, mas recusou o convite. O que, à primeira vista, pareceu um erro. Recusar a liderança de uma legenda do tamanho do PSD em seu próprio estado não é algo que se vê com frequência.

Aluísio deve ter pressentido haver algo de errado no crescimento artificial da legenda no estado.

Nesta semana Kassab, passou por cima dos filiados no estado e decidiu entregar o PSD ao ministro da Justiça, Flávio Dino, que é filiado ao PSB e deve permanecer por lá.

Para sacramentar o acordo, Dino ofereceu a filiação da senadora Eliziane Gama que transformou o PSD no detentor da maior bancada no Senado Federal. No Maranhão, o partido deve tornar-se uma espécie de parlamentarismo monárquico. Eliziane Gama será a rainha, mas quem comandará os rumos da será o primeiro-ministro comunista.

O controle de Flávio Dino representa uma vitória tripla. Além de ter para si o comando de uma das maiores legendas do país no estado (o que inclui tempo de TV e fundo partidário), o comunista ainda conseguiu tumultuar a vida do prefeito Eduardo Braide, que tinha esperança de se abrigar no PSD na reeleição. Além disso, Dino tira o controle da legenda de um antigo desafeto, o ex-deputado federal Edilázio Jr.

O SOBREVIVENTE

O único a perceber a cilada que se tornava o PSD de Kassab foi o deputado federal Aluísio Mendes. Eleito pela primeira vez em 2014 com 50.658 votos, o ex-secretário de segurança do estado teve sua candidatura vista com desconfiança. Isso acontecia pela série de atentados terroristas promovidos por facções criminosas que visavam desgastar o governo de Roseana Sarney. Quatro anos depois, o parlamentar conseguiu dobrar sua votação e atingir 105.778. Além disso, tornou-se, ao lado de André Fufuca (PP), um dos parlamentares da bancada maranhense mais prestigiados em Brasília.

O fato é que a destreza de Aluísio Mendes, já comprovada por sua trajetória, o livrou de uma grande fria.

Compartilhe
18/04/2024
fora-da-lei
Relatório sobre Alexandre de Moraes revela que ministro agiu contra a constituição do Brasil
18/04/2024
UPA
MPMA avalia qualidade do atendimento de unidades de Saúde
18/04/2024
ADVERTÊNCIA
MPMA recomenda ação rápida contra alagamentos em São Luís

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda