O FIM DO TEATRO
Desempenho pífio nas eleições de 2022 decreta “morte política” do PSDB
Por José Linhares Jr • 03/10/2022
Compartilhe
Reduzidos a esterco, tucanos elegeram apenas 13 deputados federais e nenhum senador. Partido também pode ficar sem nenhum governador.

Com apenas 13 deputados federais eleitos e nenhum senador, o PSDB é oficialmente um partido nanico. Fundado em 1988 por grandes nomes da política como Mário Covas, Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Pimenta da Veiga e Franco Montoro, o desempenho nas eleições de 2022 devem decretar o fim de um dos maiores partidos de esquerda da história recente do país.

Nas eleições para governo, o PSDB não conseguiu eleger nenhum governador. A legenda disputa o segundo turno em apenas três estados (Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Pernambuco.

Entre os 13 deputados federais eleitos, estão o ex-governador Aécio Neves (MG) e Carlos Sampaio (SP). Por outro lado, nomes como José Serra não conseguiram a eleição.

A decadência do partido foi iniciada após a derrota nas eleições de 2014, quando Aécio Neves esteve muito perto de vencer Dilma Rousseff. Logo após aquelas eleições, a tese do filósofo Olavo de carvalho sobre o teatro das tesouras.

A tese afirma que PT e PSDB, eleitoralmente adversários nas eleições de 1994, 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014, fazem são duas partes do mesmo corpo.

As lâminas de uma tesoura, vista de perto, parecem dois objetos diferentes. Contudo, se o observador se afasta, enxerga o instrumento inteiro e percebe que as lâminas estão interligadas e só funcionam em parceria.

A percepção do eleitorado iniciou um processo de esvaziamento do PSDB que pode ser considerado definitivo em 2022. O partido está oficialmente morto politicamente.

Compartilhe
18/04/2024
fora-da-lei
Relatório sobre Alexandre de Moraes revela que ministro agiu contra a constituição do Brasil
18/04/2024
UPA
MPMA avalia qualidade do atendimento de unidades de Saúde
18/04/2024
ADVERTÊNCIA
MPMA recomenda ação rápida contra alagamentos em São Luís

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda